ESTUDANTES de 24 escolas secundárias da cidade e província de Maputo beneficiaram há dias de uma orientação vocacional promovida pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM), como parte do “Dia Aberto”, evento que visa divulgar cursos e actividades desenvolvidas na maior instituição de Ensino Superior do país.

 

De acordo com o reitor da UEM, Orlando Quilambo, a iniciativa é um momento ímpar, onde o aluno do ensino pré-universitário tem a oportunidade de conhecer a aplicabilidade e outras informações complementares para a escolha dos cursos.

Referiu que muitos candidatos concorrem com pouco conhecimento sobre os cursos, dispondo apenas do edital, que tem o número de vagas. Apontou que a situação, muitas vezes, propicia más escolhas e o arrependimento.

“Abrimos as nossas portas para que os visitantes possam conhecer-nos. No “Dia Aberto”, os presentes tiveram a oportunidade de conhecer as nossas instalações através de visitas guiadas às nossas unidades orgânicas. Além disso, realizamos feiras de saúde e desportivas”, acrescentou.

Durante cerca de 10 horas, as faculdades e escolas que compõem a UEM exibiram os seus cursos, serviços, produtos, experiências e demonstrações científicas.

Nos anos transactos, o evento acontecia em dois e, por vezes, três dias, sendo que os expositores ficavam todos numa tenda, para a divulgação dos seus produtos. Neste ano, justificou Quilambo, por limitações financeiras a iniciativa decorreu num só dia e nas várias faculdades que se encontram no campus universitário.

“Apesar disso, o evento não perdeu a qualidade, apenas compactamos o tempo de visitas. Assim, pela manhã passaram pelo campus universitário 16 escolas e no período diurno outras oito”, disse.

A estudante da Faculdade de Veterinária, Amina Langa, esteve no seu stand, pronta para atender os alunos do ensino pré-universitário. Apontou que eles ficaram maravilhados com o que viram, perguntaram sobre os cursos e demonstravam o seu interesse em fazer parte da faculdade.

A estudante da 11.a classe na Escola Secundária da Polana, Asbel Madeira, disse que aprendeu muito com a visita. Contou que quer ser médica e com a feira teve a oportunidade de saber mais sobre o curso de seus sonhos.

Fonte: Notícias MZ