Pyongyang confirmou o lançamento de mais um míssil.

ACoreia do Norte voltou a lançar um míssil balístico e a reacender uma ‘chama’ que parecia ter perdido força nas últimas semanas. Na declaração oficial, o país garante que “todo o território continental” dos Estados Unidos estaria ao alcance do projéctil, o que voltou a aumentar a tensão.

A resposta de Donald Trump não tardou: os Estados Unidos “vão tomar conta do assunto”, não tendo clarificado, porém, que tipo de medidas serão tomadas para travar Kim Jong-un.

Mas o que se sabe, até agora, sobre o míssil que foi lançado, esta terça-feira, pela Coreia do Norte?

Em causa está um míssil balístico intercontinental que terá sido lançado de uma plataforma móvel e numa trajetória elevada, o que, segundo a BBC, procura alcançar o máximo de altura possível.

Este míssil ‘ganha’ aos outros já testados por Pyongyang no que toca ao tempo que se manteve no ar, 53 minutos, mais precisamente.

Também na altitude se bateram recordes em relação a outros mísseis da Coreia do Norte, sendo que este conseguiu alcançar 4,47 quilómetros.

Até ao mar do Japão, onde caiu, percorreu 970 quilómetros, mas numa trajetória ‘normal’ teria potencial para alcançar 13 mil quilómetros, podendo chegar a Washington, à costa oeste dos Estados Unidos, Europa ou Austrália, revela a BBC, segundo os cálculos do especialista David Wright, da ONG Union of Concerned Scientists.

Fonte: Notícias ao Minuto