Na primeira conferência de imprensa após a vitória eleitoral, Trump admite que a Rússia poderá estar por trás das acções de espionagem informática em torno das eleições. Mas nega as alegações sobre informação pessoal comprometedora, com críticas para os jornalistas e os serviços secretos.

Fonte: O Observador