Cristiano Ronaldo considerou que teve de ultrapassar uma “campanha” contra si para vencer o prémio de melhor de futebolista do mundo da FIFA, distinção atribuída na segunda-feira em Zurique.

“Havia muitas dúvidas, muitas campanhas contra mim, dentro e fora do futebol”, disse o internacional português à estação de rádio espanhola COPE, poucas horas depois de ter vencido o troféu, à frente de Lionel Messi e Antoine Griezmann.

Cristiano Ronaldo, que venceu em 2016 a Liga dos Campeões com o Real Madrid e o título europeu em França, com Portugal, tem-se visto envolvido numa polémica do ‘Football Leaks’, que em dezembro revelou que o português fugiu aos impostos.

A investigação alega que o jogador terá ocultado nas Ilhas Virgens Britânicas uma verba na ordem dos 150 milhões de euros, proveniente de direitos de imagem, obtidos entre 2009 e 2010.

O internacional luso, de 31 anos, negou as alegações e na segunda-feira, após vencer o troféu da FIFA, deixou acusações.

“Querem atingir-me de todos os lados e a verdade é que o melhor foi o melhor e sou eu, portanto estou muito feliz”, disse.

O jogador acrescentou que uma vez mais ‘calou’ algumas pessoas e que sempre disse que “quem nada deve, nada teme na vida”, embora espere que a justiça se faça em relação a si.

“Incomoda-me e continua a incomodar-me, mas a justiça é sempre feita no final, então vamos esperar e ver o que acontece”, salientou, reiterando que o querem atacar para “camuflar o mal que outros fazem”.

Fonte: Notícias ao Minuto