O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, exonerou o vice-ministro do Interior, José dos Santos Coimbra, avança um comunicado da Presidência da República enviado hoje à Lusa.

Os motivos para a exoneração não são conhecidos nem o nome do substituto de José dos Santos Coimbra.

A saída ocorre um dia depois de o presidente da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), Afonso Dhlakama, ter anunciado uma trégua de sessenta dias, após uma conversa telefónica com Filipe Nyusi.

O novo prazo segue-se a uma primeira trégua de uma semana, que expirou hoje, e durante a qual a polícia moçambicana disse não ter registo de incidentes, apesar de declarações em sentido contrário de Dhlakama, que, na terça-feira, se referiu a «pequenas provocações».

Entre os casos que apontou, o líder da Renamo mencionou a manutenção das escoltas militares obrigatórias nas principais estradas do país, quando «já não há ataques».

O porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM), Inácio Dina, disse na terça-feira que as escoltas foram levantadas no dia 28 de dezembro, um dia depois do anúncio da primeira trégua, embora relatos no terreno recolhidos pela Lusa indiquem que só foram desativadas mais tarde.

Fonte: A Bola