Comentadores do Pontos de Vista criticam PR por excluir as dívidas ocultas no seu informe de dois anos e meio de mandato

Os comentadores do programa Pontos de Vista, da STV, criticam o Presidente da República, Filipe Nyusi, por não incluir o dossier dívidas ocultas no informe sobre os dois anos e meio do seu mandato.

Ericino de Salema e Tomás Vieira Mário, começaram por elogiar o Presidente da República por autoavaliar os dois anos e meio do seu mandato, usando para além de comunicados de imprensa, as redes sociais. Entretanto, Ericino de Salema reprova a metodologia usada pelo Chefe de Estado para elaborar a comunicação.

“Diz que foram construídos vários quilómetros de estrada, vários quilómetros de linha férrea, entretanto, não diz concretamente quantos quilómetros. E ainda que o dissesse, era suposto dizer o que isso significa para a totalidade que foi planificada para o mesmo período”, apontou o comentador.

De Salema faz uma avaliação negativa da metade do mandato de Filipe Nyusi porque muita coisa ficou por fazer, considerando que o Presidente assumiu o mandato num contexto problemático. O comentador considera que o Presidente devia incluir na nota as dívidas ocultas.

“No seu informe, o chefe do Estado não toca a questão das dívidas ocultas como um factor que terá afectado negativamente o seu mandato nestes dois anos e meio, mas acredito que isso é incontornável, obviamente que afectou. Então, se tivesse que fazer uma avaliação numérica, arisco-me a fazer isso, de zero a 20 valores, com muito esforço dava 8.5 ao nosso Chefe do Estado”, explanou.

Tomás Vieira Mário critica a omissão, no informe, do dossier sobre as dívidas. “Realmente achei estranho que não houvesse uma linha do Chefe do Estado sobre a dívida pública, que é hoje o tema, e digo, vai ser um tema que, ainda que paguemos a dívida, fica no perfil de Moçambique como um país de risco”

Contudo, o comentador do programa Pontos de Vista faz um elogio ao Presidente. “A questão da paz, penso que ele dirigiu com muita mestria, talvez não por todos compreendida e aceite, mas me parece que ele fez um esforço de dar metodologia pessoal ao processo de paz. Vejamos agora se tem ou não sucesso e aí sim tem todo o mérito de ser elogiado”, disse.

Noutro desenvolvimento, Ericino de Salema diz que o Chefe de Estado perdeu a oportunidade de explicar, efectivamente, a expressão “Moçambique está de Volta”.

Porém, ambos comentadores do Pontos de Vista elogiam o Chefe de Estado pela atitude de autoavaliação, apesar de não estar prevista legalmente.

Fonte: O País