O dia de hoje foi marcado pela despedida a um dos mais importantes políticos nacionais da História, Mário Soares. O Notícias ao Minuto acompanhou as cerimónias fúnebres desde a sessão solene, ao início da tarde, no Mosteiro dos Jerónimos até ao cortejo que conduziu a urna do antigo chefe de Estado ao Cemitério dos Prazeres, com paragens pelo Palácio de Belém, Sede do PS e Assembleia da República.

Foi debaixo de fortes aplausos dos presentes que terminaram as cerimónias fúnebres de Mário Soares, esta tarde, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, junto ao jazigo onde está sepultada a mulher do antigo Presidente da República, Maria Barroso.

16h15 – É o fim do funeral com honras de Estado em que Mário Soares foi homenageado. O fundador do Partido Socialista fica sepultado no Cemitério dos Prazeres, junto à sua mulher, no jazigo da família Soares.

16h10 – A urna de Mário Soares foi colocada no jazigo de família, um momento que, a pedido da família, será mais íntímo. Mário Soares será sepultado junto à sua mulher, Maria Barroso, que morreu em 2015.

16h06 – Ouve-se a salva de 21 tiros de artilharia, feita de uma embarcação da Marinha Portuguesa, no rio Tejo.

16h02 – As insígnias que Mário Soares recebeu em vida são entregues aos netos de Mário Soares. Já bandeira portuguesa que seguia em cima da urna foi entregue a Marcelo Rebelo de Sousa, que a entregou a João e Isabel Soares.

16h00 – A voz do incónico político português Mário Soares volta a surgir e a ser ouvida pelo país e pelo mundo, já no Cemitério dos Prazeres.

15h57 – A família e as mais altas patentes presentes no funeral seguem a urna até ao interior do cemitério.

15h52 – Membros dos três ramos das Forças Armadas retiram a urna do socialista da charrete e transportam-na para a entrada do Cemitério dos Prazeres.

15h46 – Ouve-se, mais uma vez, ‘A Portuguesa’, desta vez tocada pela banda das Forças das Armadas, para marcar a chegada do armão que transporta Mário Soares ao Cemitério dos Prazeres.

15h27 – A urna de Mário Soares está agora no Largo do Rato, na sede do PS, onde centenas de pessoas aplaudem e cantam “Soares é fixe”. Ouvem-se também gritos de “PS”, “viva o socialismo”, “viva a democracia”, “viva a liberdade” e “Soares, amigo, o povo está contigo”. No ar veem-se rosas amarelas, as preferidas da mulher do antigo Presidente da República, Maria Barroso.

15h20 – O cortejo fúnebre faz ainda uma curta pausa na calçada do edifício do Parlamento, em frente à Fundação Mário Soares, que se situa do outro lado da estrada. O percurso continua rumo à sede do PS onde se encontram centenas de pessoas.

15h18 – A urna de Mário Soares chega à Assembleia da República, o lugar representativo da democracia portuguesa, para a qual o fundador do PS teve uma grande contribuição. A charrete para pouco tempo, mas os aplausos fazem-se ouvir.

14h23 – Urna do antigo Presidente da República para breves momentos em frente ao Palácio de Belém, onde o fundador do PS esteve 10 anos enquanto chefe de Estado.

14h17 – Cortejo funebre sai do Mosteiro dos Jerónimos, acompanhado com militares das Forças Armadas, em direção ao Cemitério dos Prazeres. A urna de Mário Soares segue de charrete.

14h15 – Aviões F-16 sobrevoam Jerónimos e fazem honras de Estado ao antigo Presidente da República.

14h03 – Volta a ouvir-se o hino de Portugal no Mosteiro dos Jerónimos e termina a cerimónia solene. A urna de Mário Soares irá agora ser transportada até ao Cemitério dos Prazeres, passando por diversos locais icónicos da cidade, da democracia e da vida do fundador do PS.

13h56 – Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, faz a última intervenção da sessão solene de homenagem a Mário Soares, “o homem que fez história, sabendo que a fazia mesmo quando nós nos recusávamos a reconhecê-lo”, um “construtor de portugalidade”.

13h42 – Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, homenageou Mário Soares através de um discurso elogioso ao “militante número um do PS e da democracia”. “Mário Soares preferiu sempre a intervenção e o risco do que o sofá e à crítica fácil”, recordou.

13h30 – António Costa, primeiro-ministro e amigo de Mário Soares, discursou na cerimónia, através de um vídeo – devido à sua visita oficial à Índia. “Pode ter-se enganado às vezes no acessório, mas nunca se enganou no que era fundamental, a visão que tinha do país, de Portugal e do mundo”, disse sobre o icónico político nacional.

13h20 – Isabel Soares, filha de João Soares, fala emocionada sobre o pai e a mãe, Maria Barroso. “O pai ensinou-nos a adorarmos a vida, a aproveitarmos cada minuto e a retirarmos o lado positivo mesmo das situações mais adversas”, referiu no meio de um discurso emocionado.

13h17 – A voz de Maria Barroso, mulher do fundador do PS, falecida em 2015, é escutada na homenagem através da declamação do poema “Os dois sonetos de amor da hora triste”, de Álvaro Feijó.

13h04 – Discursa João Soares, filho de Mário Soares, de rosa vermelha ao peito, recordando momentos da vida do pai. “Quero nesta hora triste de despedida deixar aqui, enquanto filho, um testemunho de respeito, admiração e ternura pelo meu pai”, disse.

13h02 – No claustro do Mosteiro dos Jerónimos ouve-se a voz de Mário Soares, num discurso proferido na assinatura do Tratado de Adesão à então CEE, em 1985.

13h00 – Ouve-se o hino nacional nos Jerónimos para a despedida de um homem que ficará para sempre na História de Portugal. É o coro do Teatro Nacional de São Carlos que entoa o hino.

13h00 – Teve início a sessão solene de homenagem a Mário Soares. A urna foi colocada no pedestal e faz-se silêncio no claustro dos Jerónimos.

12h57 – Estão reunidas cerca de 500 pessoas, entre familiares e personalidades mundiais, para a última homenagem ao icónico socialista. A urna de Mário Soares está a ser transportada para o claustro principal do Mosteiro dos Jerónimos.

12h52  Marcelo Rebelo de Sousa chegou aos Jerónimos. A cerimónia terá início dentro de momentos.

12h30 Começam a chegar os familiares e as altas individualidades que estarão presentes na sessão solene de homenagem a Mário Soares, no Mosteiro dos Jerónimos.

Hoje, dia 10 de janeiro de 2017, cumpre-se o último adeus a Mário Soares. O país e o mundo vão assistir à despedida do político que marcou a História de Portugal, de um dos pais da democracia, da vida em liberdade, mas também da Europa e da entrada de Portugal na União Europeia, na altura Comunidade Económica Europeia (CEE).

Dezenas de responsáveis mundiais estão em Portugal para marcarem presença no funeral de Mário Soares e prestarem homenagem ao histórico socialista.

A câmara ardente esteve aberta até às 11 horas desta manhã e o funeral tem início às 13 horas, altura em que a urna será transportada para os claustros do Mosteiro dos Jerónimos.

Nesse momento, o antigo Presidente da República será homenageado com uma sessão solene que se inicia e finda com o hino nacional. Os filhos, João e Isabel Soares, irão discursar, assim como serão ouvidos excertos da voz de Mário Soares e de Maria Barroso, mulher falecida do socialista.

O armão da GNR, os batedores da PSP, a guarda a cavalo e as viaturas de famílias e altas entidades deslocar-se-ão do Mosteiro dos Jerónimos até ao Cemitério dos Prazeres. O percurso tem início às 14 horas e passará por lugares icónicos para o antigo Presidente da República, como o Palácio de Belém, a Assembleia da República, a Fundação Mário Soares e a sede do Partido Socialista.

O primeiro funeral com honras de Estado desde o 25 de Abril continuará na capela do cemitério, em que será, mais uma vez, ouvida a voz do político que ficará para sempre na História de Portugal pelo seu contributo para a conquista da liberdade e da democracia.

A salva de 21 tiros de artilharia, feita de uma embarcação da Marinha, no rio Tejo, antecede o transporte da urna para o jazigo da família.

Fonte: Notícias ao Minuto