DEPOIS de uma paragem de duas semanas para dar lugar à realização da Taça de Moçambique/mcel e da participação dos “Mambas” na qualificação para o CAN, o Moçambola, principal liga nacional de futebol, regressa este fim-de-semana com o “clássico” Ferroviário de Maputo-Maxaquene, agendando para amanhã, às 15:00 horas, inserido na 16ª jornada.

Antevê-se uma autêntica rumaria ao Estádio da Machava, visto que no relvado estarão duas das maiores colectividades do país e com um número de adeptos considerável. No vale do Infulene estarão duas equipas com objectivos distintos. Os “locomotivas”, na terceira posição com 27 pontos, estão bem sólidos na batalha pelo título e nesta ronda almejam subir mais um degrau, enquanto os “tricolores” estão na 13ª posição, com 15 pontos, portanto bem próximos da linha que os separa da zona de despromoção, pelo que terão que dar o tudo por tudo para não caírem para baixo da “linha de água”.

Na tarde de amanhã vai desenrolar-se a maior parte dos jogos, à excepção do Liga-Costa do Sol, marcado para domingo, e do Ferroviário da Beira-Desportivo de Nacala, adiado, devido ao compromisso dos beirenses na Liga dos Campeões Africanos. Os olhares estão centrados no campo do 1º de Maio de Quelimane, onde o líder UD Songo, 32 pontos, jogará mais uma cartada importante pela manutenção do estatuto que ocupa. Tal como o Ferroviário-Maxaquene, as metas para esta partida são diferentes, na medida em que os quelimanenses têm que somar os três pontos para evitar um tombo para a zona de despromoção. Sublinhe-se que a turma do Songo, em caso de derrota e de vitória do Costa do Sol, no jogo mais importante da jornada, frente a Liga, perderá a liderança a favor dos “canarinhos”, que entram para esta ronda com 30 pontos no segundo lugar.

O Clube de Chibuto, que garantiu há duas semanas os serviços do técnico Artur Semedo para ainda terminar o campeonato com alguma dignidade, visto que chegar a liderança é difícil, terá um desafio de grande risco, uma vez que visita o Ferroviário de Nacala, que ocupa o quinto posto e vai fazendo uma campanha tranquila. Aliás, os nacalenses fizeram uma primeira volta positiva, superando algumas das equipas candidatas ao título, casos do Ferroviário da Beira, detentor do título, Ferroviário de Nampula, sem esquecer o Maxaquene.

O Ferroviário de Nampula recebe a ENH de Vilankulo, num desafio que se espera equilibrado.

Os outros embates serão entre formações, que lutam pela manutenção. O Chingale bate-se com a UP Lichinga e AD Macuácua defronta o Textáfrica.

Fonte: Notícias MZ