A Liga Desportiva de Maputo sofreu mais um revés e por culpa própria, porque não acertou nas oportunidades que teve, sobretudo na primeira parte, durante a qual dominou por completo o jogo.

Apesar da melhoria qualitativa da actuação do Chibuto, na etapa complementar, a Liga continuou melhor, mas falhou nos momentos cruciais, enquanto os gazenses conseguiram marcar em duas ocasiões oportunas , já na etapa final da contenda.

Com tamanha astúcia e muita clarividência na sua abordagem de jogo, a Liga Desportiva ofuscou o Chibuto que, até à entrada do segundo quarto, esteve encurralado, sem espaço de manobra perante o poderia ofensivo do adversário, assente na excelente circulação de bola e abertura de linhas de passe e que lhe permitiram chegar com muitas facilidades ao último reduto dos “guerreiros”.

Com esse estilo de jogo, feito a um ritmo bastante acelerado com desmarcações” à altura de lhe conferir maior poderio ofensivo, a Liga teve algum espaço para remates que levaram algum perigo junto à baliza defendida por Zacarias, chamado a algumas intervenções, mas não de grande vulto.

O Chibuto apenas reagiu aos 34 minutos, com Johane a cruzar da linha de fundo para Rodrigues desviar ao lado. Este lance antecedeu à grande penalidade desperdiçada por Sonito, aos 42 minutos, a castigar carga de Sataca Jr. sobre Neymar, quando o avançado da Liga tentava perfurar a grande área gazense.

A segunda parte inicia com a mesma tendência e a Liga conseguiu novamente se impor nessa sua excelente forma de jogar, por isso que não surpreendeu a ninguém que, aos 52 minutos, Liberty chamasse a Zacarias para uma defesa de recurso, a corresponder ao excelente passe de Nando para o seu isolamento.

Aliás, Zacarias teve que sair arrojado ao chão para interceptar o remate do zimbabweano. Feito isto, assistiu-se a um ligeiro ascendente do Chibuto, que procurou jogar ao ritmo duma Liga que estava determinada a fazer um jogo aberto e muito virado ao ataque, aliás, como é-lhe característico.

Mesmo sem imprimir a mesma velocidade que o adversário, o Chibuto já se revelava no terreno. Johane quase se escapuliu do cerco defensivo, mas desarmado quando preparava o tiro. Este lance antecedeu ao golo dos “guerreiros”. Hammed, que acabava de entrar no lugar de Escurinho, escapou ao controlo da defensiva da Liga e, vendo-se sem melhor ângulo, assistiu a Mafaite, que atirou a contar, à passagem do minuto 73.

A Liga tentou ir atrás do prejuízo, mas foi encontrado novamente em contra pé num lance infeliz para Jair, que não precisava de cometer a falta sobre Mafaite, já que o jogador do Chibuto não havia acertado o remate na zona de rigor.

Grande penalidade para os gazenses e bem convertida por Johane, aos 88 minutos. E a história terminou por aqui, pois nada mudou até ao fim do tempo regulamentar e dos quatro minutos de compensação.

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: Filimão Correia, auxiliado por Zacarias Baloi e Carlos Mussane. O quarto árbitro foi Paiva Dias.

LIGA DESPORTIVA:Milagre; Jair, Ussama, Hermínio e Eusébio; Momed Hagy, Nando (Infren), Liberty e Neymar; Yude (Daínho) e Sonito (Macamo).

CHIBUTO: Zacarias; Sataca Jr., Maninho, Narciso e Obel; Zé Luís, Mafaite, Ino e Escurinho (Hammed); Johane e Rodrigues (Khadre).

DISCIPLINA: Cartões amarelos a Hermínio e Jair, da Liga; e Sataca Jr, do Chibuto.

Fonte: RM