Moçambique está a estudar a criação de uma unidade de investigação de acidentes aéreos com o apoio da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) de Portugal, anunciou hoje o ministro dos Transportes e Comunicações moçambicano.

Além da cooperação na área da segurança aérea, “estão igualmente em perspectiva acções de formação de pessoal técnico em diversas áreas da aviação civil moçambicana com o apoio português”, referiu Carlos Mesquita, em comunicado.

Os trabalhos estão a ser preparados através de encontros mantidos em Portugal com o presidente da ANAC, Luís Miguel Ribeiro, cooperação que também “resultou na retirada das companhias aéreas moçambicanas da lista negra da União Europeia”.

As últimas reuniões realizaram-se no final de Junho.

Na ocasião, foi ainda assinado um acordo de cooperação no domínio dos transportes marítimos e portos, entre Moçambique e o Governo português, “que abre espaço para uma maior aproximação entre os dois países nesta área”, destacou Carlos Mesquita.

Na mesma nota, o membro do Governo sublinhou ainda ter discutido com o secretário de Estado das Infraestruturas de Portugal, Guilherme d’Oliveira Martins, mecanismos de reforço de cooperação na área ferroviária, aeroportuária e da expansão da rede de telecomunicações em Moçambique.

Segundo referiu, “há perspectivas da contribuição de Portugal no programa em curso para a ampliação e modernização das infraestruturas ferroviárias, como a linha férrea de Ressano Garcia e o projecto da construção da linha e do Porto de Macuse”, cujo concurso para construção foi ganho pela empresa portuguesa Mota-Engil.


Para atrair investimento para Moçambique, Carlos Mesquita referiu ainda ter mantido encontros com representantes da NAV, Grupo Sousa-Cabotagem Marítima, Visabeira, Grupo Rangel-Pharma, Porto de Leixões, Sevenair e Escola Náutica Infante Dom Henrique, entre outros.

Fonte: Lusa