Dois indivíduos com idades compreendidas entre 27 e 30 anos estão detidos na 1a esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM), no município da Matola, indiciados de violar sexualmente uma miúda de 13 anos de idade, a qual sofre de perturbações mentais.

O crime deu-se no último fim-de-semana. O pai da vítima disse que no dia em que a filha foi abusada sexualmente, ela saiu de casa por voltas das 14h00 e só regressou às 20h00.

Questionada, carinhosamente, por que é que tinha desaparecido por muito tempo, a criança contou que estava com um vizinho chamado Joaquim, o qual a levou até à sua residência à força.

A miúda contou aos seus progenitores e à Polícia que o referido homem despiu-lhe, abriu-lhe as pernas e consumou a cópula forçada.

Indignado, o pai dirigiu-se à habitação dos acusados para perceber o que tinha acontecido, mas não ficou convencido e pediu a intervenção da Polícia, que manteve os indiciados encarcerados após os resultados hospitalares confirmarem que houve estupro.

Os dois indiciados refutaram as acusações e um deles alegou que o pai da menina subornou o técnico de saúde para dizer o que não aconteceu.

Um outro indivíduo de 35 anos de idade, ora foragido, é acusado de abusar sexualmente uma adolescente também de 13 anos de idade, no bairro do Triunfo. A vítima encontrava-se na sua casa a brincar com uma amiga, quando o presumível estuprador, que é casado e pai de dois filhos, forçou a miúda a acompanhá-lo até a sua casa, onde amordaçou-lhe, despiu-lhe e fez dela o que quis.

A criança foi levada ao hospital onde se confirmou que houve violação. Contudo, o acusado abandonou o domicílio com a sua família, alegadamente por temer ser linchado pelos populares.

Fonte: @ Verdade