A epidemia de cólera no Iémen, que causa mais de 5.000 novos casos suspeitos por dia, pode agravar-se com o início da temporada de chuvas no país, alertou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Desde abril, os casos suspeitos aumentaram para 368.000 e já se registaram 1.828 mortes por causa dos casos de cólera que assolam o país, avançou a organização.

O Iémen enfrenta um conflito armado há mais de dois anos e os diversos focos de violência no país têm sido os maiores obstáculos na implementação das infraestruturas médicas e sanitárias necessárias para conter a propagação da doença, que pode ser curada em 99% casos se as pessoas afetadas receberem cuidados médicos.

“As chuvas podem retardar a capacidade de resposta operacional à epidemia, tornar mais difícil o fornecimento de água potável e de serviços de saneamento, inundar estradas e causar movimentos populacionais, que podem aumentar a propagação do vírus”, explicou a porta-voz da OMS, Fadela Chaib.

A temporada de chuvas no Iémen começa em julho e acaba em setembro e a ONG Oxfam teme que os casos de cólera atinjam os 600.000, resultando no mais grave surto da doença desde 1949.

“Estamos longe de travar a epidemia e milhares de pessoas vão ficar doentes antes disso”, admitiu Chaib.

Confrontada com este risco, a OMS está a tentar lançar o maior número de medidas possível, que incluem o aumento do acesso a água potável, saneamento, formação de pessoal de saúde no Iémen e reforço de vigilância epidemiológica, assim como medidas de prevenção.

Fonte: Notícias ao Minuto