O ENCERRAMENTO do balcão do Banco Internacional de Moçambique (BIM), na última segunda-feira, no distrito de Mandlakazi, província de Gaza, está a criar um desconforto e inconformismo no seio dos residentes utentes e agentes económicos daquele distrito.

A situação deriva do facto de aquela instituição bancária não ter disponibilizado aos seus clientes um balcão alternativo, uma vez pretender reabilitar a infra-estrutura ora encerrada, medida que não foi antecedida de qualquer comunicação aos clientes.

Com efeito, foram recolhidos da instituição, todos os equipamentos usados, incluindo as duas ATM`s que serviam aos utentes.   

Um dos agentes económicos do distrito, Abdul Ismael Sambate, mostrou-se indignado com a decisão, que não foi previamente partilhada aos clientes, referindo que o não funcionamento do balcão, desde segunda-feira, está a causar enormes prejuízos à actividade que exerce, devido à falta de alternativas localmente, para as transacções bancárias, uma vez não existir outra instituição no distrito.

O nosso interlocutor afirmou por outro lado haver riscos na movimentação de divisas até encontrar serviços bancários nos distritos de Chibuto e Xai-Xai, bem como para o pagamento de serviços diversos.

Entretanto, o administrador do distrito de Mandlakazi, Raul Ouana, disse ao nosso jornal, estarem em curso diligências junto dos representantes do banco, visando a sua reabertura.

“ Temos estado a interagir com os representantes do banco. A informação que nos foi dada é de que a instituição será reaberta brevemente” – disse

O governante disse por outro lado que uma equipa do Banco Internacional de Moçambique, esteve na tarde de ontem, terça-feira, em Mandlakazi, tendo garantido que os equipamentos removidos incluindo as duas máquinas de ATM, serão recolocados nos próximos dias.

Refira-se que com o encerramento deste balcão, o distrito fica temporariamente desprovido de serviços bancários, obrigando os residentes do distrito a deslocarem-se para distritos vizinhos.

Fonte: Jornal Notícias MZ