Dois cidadãos estrangeiros cujas identidades e país de origem não foram revelados pela Polícia encontram-se detidos, desde 30 de Dezembro último e 02 de Janeiro corrente, acusados de suborno à Polícia de Trânsito (PT), na cidade de Maputo.

Os visados foram interpelados por uma brigada de fiscalização de trânsito mas não apresentavam documentos do carro em que se faziam transportar.

Diante de tal facto, a Polícia deteve o condutor, que vendo-se em apuros, “tentou subornar os agentes da Polícia de Trânsito com 1.400 meticais”, segundo Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM).

O visado foi conduzido a uma esquadra, onde no dia 02 de Janeiro em curso compareceram alguns familiares. Destes, tentou comprar o silêncio das autoridades policiais com 10 mil meticais e acabou, também, preso.

“Queríamos desencorajar estes actos de suborno à Polícia, pois constituem crime”, disse Dina, apelando aos condutores, no geral, para que, em vez de juntar dinheiro para subornar a PT, o façam de modo a regularizar a documentação necessária para que se façam à via pública nos seus carros sem infringir a lei.

Refira-se que uma pesquisa do Centro de Integridade Pública (CIP) que indica que os condutores estrangeiros estão entre os principais compradores das cartas de condução no Instituto Nacional dos Transportes Terrestres (INATTER).

Fonte: @ Verdade