Líder da Renamo diz que a Frelimo é responsável pela aquisição das 18 viaturas de marca mercedes

 

A polémica em torno dos Mercedes Benz – viaturas “topo de gama” compradas pelo Estado para os membros da Comissão Permanente da Assembleia da República – continua na ordem do dia.

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, disse, esta quinta-feira, durante a teleconferência que dirigiu aos quadros e membros do seu partido, que a Frelimo é responsável pela aquisição das 18 viaturas de marca mercedes, atribuídas aos membros da Comissão Permanente. Dhlakama acusa a Frelimo de não ter ouvido os deputados da Renamo em relação à matéria, daí que se exime de tomar qualquer medida, na qualidade de presidente do partido, com vista a persuadir à sua devolução.

Entretanto, o líder da Renamo diz que não faz sentido que se invista na aquisição de viaturas luxuosas e onerosas aos cofres do estado, numa altura em que o país vive uma grave crise económica.

Por sua vez, Ivone Soares, chefe da bancada parlamentar da “perdiz”, defende a substituição das viaturas mercedes por outras ajustadas ao trabalho de campo que tem sido desenvolvido pelos parlamentares, além de propor um debate sobre o assunto na Assembleia da República.

A chefe da bancada diz que os Mercedes Benz atribuídos não são adequadas às estradas nacionais, muitas delas esburacadas, para além de que têm a limitação de não se fazerem a todo o terreno. Ivone Soares afirma, no entanto, que a situação não consubstancia ostentação por parte da Assembleia da República, dado que o fim último daquele órgão é servir o povo que o elegeu.

A medida está a chocar o país e já motivou o lançamento de um abaixo-assinado por um parlamentar do MDM, o qual procura alianças entre os seus pares para repudiar a medida.

Recentemente, o Ministério da Economia e Finanças disse que a medida é legal, ainda assim, a sociedade continua a repudiar, em vários fóruns, a aplicação de 228 milhões de meticais – cerca de 4 milhões de dólares – na operação.

Refira-se que, desde que o assunto dos Mercedes benz dos membros da Comissão Permanente da Assembleia da República foi despoletado, aquele órgão mantém-se calado.

As declarações de Afonso Dhlakama e Ivone Soares foram feitas, esta quinta-feira, durante um evento promovido pela Renamo, em teleconferência, onde reflectiu sobre a vida do partido.

Fonte: O País