O PROJECTO de construção da Barragem da Moamba Major, na província de Maputo, lançado em Outubro de 2014, está praticamente paralisado devido à falta de financiamento.

A informação foi avançada pelo Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Carlos Bonete, que não apontou qualquer perspectiva para a retoma do projecto, dependente em grande medida de fundos que seriam disponibilizados pelo governo brasileiro.

O empreendimento, que deve ser desenvolvido no curso do rio Incomáti na Moamba, está orçado em pouco mais de 466 milhões de dólares.

Além de garantir a irrigação de 19 mil hectares de campos agrícolas e abastecimento de água à região do Grande Maputo, a barragem serviria também para a produção de electricidade a ser injectada na rede nacional.

Falando durante uma visita que efectuou às obras de construção do sistema de abastecimento de água a partir da Barragem de Corumana, Bonete disse apenas que o projecto está “praticamente parado”, devido à não disponibilização de fundos pelos financiadores.

O actual Governo do Brasil suspendeu quase todos os acordos de financiamento celebrados pelo anterior Executivo para uma suposta análise. No caso de Moçambique, estão afectados os projectos da Barragem da Moamba Major e da construção de faixas para o rápido escoamento de autocarros, mais conhecido pela sigla inglesa BRT, entre o centro da cidade de Maputo e a Praça da Juventude.

A barragem devia estar operacional, segundo o calendário do projecto, em 2019, mas face ao cenário se desconhece o ano em que a infra-estrutura será uma realidade.

Fonte: Notícias MZ