O Quénia voltou, ontem, a ser palco de confrontos, dia em que Uhuru Kenyatta foi investido como Presidente do país.

Os manifestantes rejeitam o resultado das eleições, realizadas em Agosto e repetidas em Outubro, cujo resultado voltou a eleger Kenyatta para um segundo mandato de cinco anos.

A polícia queniana selou o local onde a oposição previa realizar os protestos… e reprimiu os manifestantes com gás lacrimogéneo.

À entrada do estádio onde o presidente foi investido para o seu segundo mandato, os agentes também tiveram de intervir para controlar a multidão que forçava a entrada no recinto.

A polícia do Quénia utilizou bastões e disparou granadas de gás lacrimogéneo durante os confrontos com manifestantes, em Nairobi, antes da tomada de posse de Uhuru Kenyatta como chefe de Estado.

Por outro lado, registaram-se confrontos no sudoeste de Nairobi, onde os membros da oposição ao presidente tentam organizar uma concentração de protestos contra a tomada de posse.

Há uma semana, o Supremo Tribunal validou a vitória de Kenyatta, descartando os recursos que tinham sido apresentados em contestação dos resultados eleitorais, de Agosto e Outubro, entre os quais o da principal coligação da oposição, a Super Aliança Nacional, liderado por Raila Odinga.

Fonte: Jornal Notícias MZ