«Queremos que a cidade da Matola, cuja população sabemos que gosta muito de futebol, seja o maior exemplo no apoio à seleção nacional, marcando presença em peso no domingo, no Estádio Nacional do Zimpeto, para nos incentivar na vitória que queremos frente a Madagáscar», disse Abel Xavier, esta sexta-feira recebido em audiência pelo edil daquela próspera autarquia, Calisto Cossa.

O selecionador moçambicano, fazendo jus à sua grande capacidade de intervenção social nas vésperas dos embates, foi à capital da província de Maputo para pedir que a população da Matola seja exemplar no acarinhamento da seleção, numa altura em que o desafio com os malgaxes já está a causar um movimento desusado, com os adeptos moçambicanos bastante animados com a possibilidade de transição para a final regional de acesso ao CHAN Quénia-2018.

Matola, que, aliás, acolhe alguns dos maiores parques futebolísticos nacionais, casos do Estádio da Machava, campos da Liga Desportiva de Maputo, do Afrin e do Matchedje, respondeu positivamente ao repto lançado por Abel, Xavier, com o presidente Calisto Cossa, inclusive, a convidar os Mambas a estagiarem naquela cidade nos seus próximos compromissos.

«Queremos felicitar o trabalho que o selecionador nacional está a fazer, porque está a produzir resultados positivos e que honram a todos os moçambicanos. É nossa obrigação estar lado a lado com a nossa seleção e com a nossa federação», disse o edil da Matola, que disse ter se sentido honrado por ter recebido o treinador dos Mambas.

Já Abel Xavier, agradecendo o gesto do presidente do Município da Matola, disse que «é sempre gratificante sentir que temos pessoas importantes a abrir as portas para que possamos entrar e estar na Matola. É assinalável. Temos vários compromissos e vários objetivos e queremos reunir todas as condições para que o grupo continue a crescer».

Também se juntando ao coro de vozes populares que se tem pronunciado sobre o sensacionalmente aguardado jogo de domingo, o Governador de Inhambane, Rogério Chapo, disse esperar um resultado positivo da seleção. «É claro que vamos ganhar. A equipa está a jogar bem e viu-se, em Madagáscar, que temos uma seleção com chances de passar estar eliminatória e se qualificar para a fase final do CAN-Interno».

Rogério Chapo vaticinou os números: «vamos vencer por 2-1».

Entretanto, a Política da República de Moçambique na cidade de Maputo, de sobreaviso quanto à enchente que se prevê para o Zimpeto, decretou tolerância zero em todos os aspetos, sobretudo em relação à circulação de viaturas e ao acesso dos espectadores, afirmando, por exemplo, que não será permitida a venda de bebidas alcoólicas no perímetro à volta do Estádio.

Nas quatro linhas, os Mambas têm estado a efetuar treinos bi-diários, enquanto os malgaxes, que desembarcaram esta sexta-feira, farão o seu treino de adaptação ao Estádio no sábado.

Fonte: A Bola